ENDEREÇO E TELEFONE:
Telefone/Fax: (16) 3412-9752 / e-mail: sbmac@sbmac.org.br
Edif√≠cio Medical Center - Rua Maestro Jo√£o Seppe, n¬ļ. 900, 16¬ļ. andar - Sala 163 | S√£o Carlos/SP - CEP: 13561-120

A Carreira

Sobre o Mercado de Trabalho para Matem√°ticos

Geraldo Nunes Silva - Presidente (2010 - 2011)
Eliana X. L. de Andrade - Secret√°ria Geral (2010 - 2011)

Primeiramente, gostaríamos de destacar alguns aspectos da história da Matemática no Brasil. Em 1811, na época do Império, começou a funcionar no Rio de Janeiro a Academia Real Militar onde foi criado um curso de Ciências Físicas, Matemáticas e Naturais, com duração de quatro anos. Para dar aulas de matemática, foi contratado o professor José Saturnino da Costa Pereira (1773-1852), que havia feito o curso de Matemática na Universidade de Coimbra em Portugal. A Academia foi transformada em Escola Militar da Corte em 1939 e, em 1942, foi instituído o grau de doutor em Ciências Matemáticas. Em 1848, o primeiro doutorado foi concedido ao jovem maranhence Joaquim Gomes de Souza (1829-1864), o "Souzinha" (veja http:/www.ima.mat.br/ubi/pdf=uda_005.pdf para mais detalhes). No final do século 19 foram criadas as Escolas Politécnicas. A primeira faculdade de Matemática no Brasil, a Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da USP, só foi criada em 1934. Depois disso, vários outro cursos de Matemática (Pura) foram criados por todo o Brasil. Só recentemente os cursos de Matemática Aplicada começaram a despertar o interesse das Universidades.

Com o objetivo de se ter um √≥rg√£o que coordenasse e orientasse a produ√ß√£o cient√≠fica brasileira, foi criado o CNPq em 1951 (lei no 1.310 de 15 de janeiro). A Campanha Nacional de Aperfei√ßoamento de Pessoal de N√≠vel Superior (atual CAPES) foi criada em 11 de julho de 1951, pelo Decreto no 29.741, com o objetivo de assegurar a exist√™ncia de pessoal especializado em quantidade e qualidade suficientes para atender √†s necessidades dos empreendimentos p√ļblicos e privados que visam ao desenvolvimento do pa√≠s. Em 1954 o Brasil entra na IMU - Uni√£o Matem√°tica Internacional e, em 1957 √© realizado o Primeiro Col√≥quio Brasileiro de Matem√°tica. Dez anos mais tarde, em 1967, foi lan√ßada a Escola Latino-Americana de Matem√°tica.

A funda√ß√£o da primeira sociedade cient√≠fica que congregasse os matem√°ticos do Brasil, a Sociedade Brasileira de Matem√°tica - SBM, aconteceu em 1969. Com o passar dos anos, os matem√°ticos que trabalhavam com as aplica√ß√Ķes da Matem√°tica, os chamados "Matem√°ticos Aplicados", sentiram a necessidade de ter um √≥rg√£o que os congregasse e representasse. Assim, em 1978, foi fundada a Sociedade Brasileira de Matem√°tica Aplicada e Computacional - SBMAC. Isso ocorreu durante o 1¬ļ Simp√≥sio Nacional de C√°lculo Num√©rico, realizado nas depend√™ncias do Instituto de Ci√™ncias Exatas da Universidade Federal de Minas Gerais, em Belo Horizonte (MG), com um n√ļmero expressivo de participantes, muito maior do que previam os organizadores. Esse simp√≥sio passou a chamar-se, a partir de sua terceira edi√ß√£o, Congresso Nacional de Matem√°tica Aplicada e Computacional - CNMAC e continuou a ser realizado anualmente at√© 2010, ano em que ocorreu o XXXIII CNMAC. A partir da√≠, o CNMAC passa a ser realizado a cada dois anos e, em 2012, ser√° a sua 34¬™ edi√ß√£o.

Depois deste breve histórico, passemos aos cursos de Matemática atualmente em funcionamento no Brasil.

De acordo com o Censo da Educa√ß√£o Superior do ano de 2009 realizado pelo INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais An√≠sio Teixeira) e atualizado por pesquisas feitas em sites de universidades brasileiras, existem, no Brasil, poucas institui√ß√Ķes de ensino superior que oferecem cursos de gradua√ß√£o voltados √† Matem√°tica Aplicada (aqui inclu√≠dos os cursos de Matem√°tica Industrial e Matem√°tica Computacional), como podemos ver na tabela abaixo. Em compensa√ß√£o, o n√ļmero de institui√ß√Ķes que oferecem cursos de Licenciatura em Matem√°tica √© significativamente grande, correspondendo a aproximadamente 88% dos cursos de forma√ß√£o em Matem√°tica no Brasil.

N√ļmero de Cursos de Gradua√ß√£o Presenciais, em 2011, por Organiza√ß√£o Acad√™mica e Categoria Administrativa das IES, segundo as √Āreas Gerais, √Āreas Detalhadas e Programas e/ou Cursos Brasil

Cursos Federal Estadual Municipal Particular Comum/
Confes/Filant
Total
Formação de prof de Matemática 117 129 25 164 130 564
Matemática 34 9 1 12 12 68
Matemática Aplicada 3 3 - 1 1 8
Matemática Computacional 6 3 - 1 2 12
Matemática Industrial 3 - - - - 3
Tabela 1: Fonte: http://www.inep.gov.br/ sites das Universidades

 

Assim, de acordo com a tabela acima, temos, no Brasil, apenas 23 cursos de gradua√ß√£o em Matem√°tica Aplicada num total de 655 cursos relacionados √† Matem√°tica, ou seja, aproximadamente 3.5%, o que √©, sem sombra de d√ļvida, um n√ļmero muito pequeno. Mas, esse n√ļmero √© justificado se levarmos em considera√ß√£o que a profiss√£o de "matem√°tico aplicado" ainda √© novidade para a maioria dos jovens brasileiros, que costumam ver a Matem√°tica como uma disciplina complicada e tamb√©m relacionada somente √† doc√™ncia. Por√©m, nos √ļltimos anos, vem crescendo o n√ļmero de matem√°ticos que trabalham em grandes empresas. Com o objetivo de divulgar outras √°reas (diferentes da doc√™ncia) em que os matem√°ticos (n√£o somente os aplicados) podem atuar, listaremos algumas das atividades em que o pro- fissional formado em matem√°tica √© sempre bem vindo.

Iniciaremos pelas institui√ß√Ķes financeiras. Nessas empresas, √© importante que os pro- fissionais tenham racioc√≠nio l√≥gico e habilidade para lidar com n√ļmeros, qualidades que a maioria dos matem√°ticos possui. Al√©m disso, com o aumento da necessidade do uso de computadores, os matem√°ticos tamb√©m podem atuar na √°rea de desenvolvimento de softwares e sistemas banc√°rios.

Uma outra √°rea em que os matem√°ticos podem atuar √© a de pesquisador em grandes empresas ou institui√ß√Ķes p√ļblicas. Como exemplo, segundo dados do ex-presidente da Embrapa, Dr. Silvio Crestana, cerca de 95 matem√°ticos fazem parte do quadro de funcion√°rios dessa empresa, sendo 74 graduados, 1 especialista, 12 mestres e 8 doutores. Alguns desses profissionais trabalham no desenvolvimento de modelos matem√°ticos voltados √† agricultura como, por exemplo, na modelagem de pragas agr√≠colas, em modelos para representar o comportamento de pesticidas no ambiente e na simula√ß√£o do crescimento de plantas, entre outros.

Outro exemplo interessante est√° relacionado √†s pesquisas meteorol√≥gicas e de previs√£o do tempo, onde a Matem√°tica est√° presente atrav√©s das simula√ß√Ķes num√©ricas. Al√©m disso, grandes empresas exploradoras de petr√≥leo tamb√©m precisam de matem√°ticos para realizar simula√ß√Ķes num√©ricas, pois muitos problemas dessa √°rea (como o escoamento de petr√≥leo num tubo) s√£o modelados atrav√©s de equa√ß√Ķes diferenciais.

Na √°rea m√©dica, atrav√©s da solu√ß√£o de modelos mec√Ęnico-biol√≥gicos, est√£o sendo realizadas pesquisas para antecipar, com razo√°vel grau de precis√£o, resultados de importantes procedimentos m√©dicos como ponte de safena e transplante renal, por exemplo. Os matem√°ticos tamb√©m podem atuar como consultores em empresas privadas, geralmente no desenvolvimento de novos produtos, no estudo da otimiza√ß√£o de vendas, no aumento da efici√™ncia de um determinado produto, etc.

Muitas inova√ß√Ķes, que foram cruciais para a mudan√ßa de comportamento da sociedade, utilizaram ferramentas matem√°ticas (puras ou aplicadas). Por exemplo, utilizando a Teoria dos N√ļmeros, criou-se um algoritmo para criptografar dados que s√£o, ainda hoje, indecifr√°veis e que nos permite fazer, com seguran√ßa, compras via internet, acessar dados banc√°rios, etc. Por√©m, em todas as √°reas de atua√ß√£o do profissional em Matem√°tica, exige-se conhecimento de outras √°reas, como a F√≠sica, a Engenharia, a Biologia e a Administra√ß√£o, entre outras.

Chamamos a aten√ß√£o para uma nova modalidade de cursos de Matem√°tica: o Bacharelado em Matem√°tica Industrial. O profissional denominado "matem√°tico industrial" deve ter profundo conhecimento das metodologias e t√©cnicas matem√°ticas (puras e aplicadas) e afins, e ser capaz de atuar em diversos setores, tanto p√ļblico como privado. Em uma organiza √ß√£o, espera-se que o profissional trabalhe em equipes muiltidisciplinares, modelando matematicamente os problemas, propondo solu√ß√Ķes, sempre visando o melhor desempenho, tanto da empresa como dos trabalhadores. O campo de trabalho do matem√°tico industrial est√° em expans√£o no Brasil devido √†s exig√™ncias do mercado em aumentar a efici√™ncia e diminuir os custos de produ√ß√£o.

Acreditamos que o crescimento da demanda pelo profissional em matem√°tica ainda seja pequeno diante da grandiosidade das ferramentas matem√°ticas que temos para "tentar" modelar fen√īmenos f√≠sicos, meteorol√≥gicos, ambientais, biol√≥gicos, qu√≠micos, etc. Segundo o pr√™mio Nobel de F√≠sica Eugene Winger (1902 - 1995), em um artigo publicado em 1960, a efic√°cia da matem√°tica na descri√ß√£o e previs√£o de fen√īmenos naturais ultrapassa o razo√°vel.

Este artigo tomou como base o artigo de mesmo nome de autoria da Profa. Vanessa Botta da FCT/UNESP/Campus de Presidente Prudente e Coordenadora Regional da SBMAC, publicado na Revista do Professor de Matem√°tica N¬ļ 72.